sábado, 18 de junho de 2011

SISU - As inscrições são até amanhã (19-06)

Queridos estudantes
como a Mara lembrou, amanhã (domingo) é o úlitmo dia para fazer as inscrições no SISU. Não deixem de fazer pois é muito importante para aproveitar o ENEM.
Esse é o link http://sisu.mec.gov.br
Não deixem para última hora porque o site sempre trava...
abraços
Suane

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Isençao UERJ

o código do pré para isenção da UERJ - que termina hoje é PVC09495 Se quiserem pedir isenção pelo pré vocês precisam se inscrever pelo site da UERJ http://www.vestibular.uerj.br/concurso.php
somente hoje e levar na aula da noite (18:30h - 22:30) seus documentos e o requerimento de inscrição impressos dentro de um envelope, não esquecam de levar a carteira de identidade.
algum professor vai recolher esse material e levar para a uerj amanhã
bjs
suane
qualquer problema me liguem 99624523

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Gabarito do Simulado 2:

01) A
02) C
03) A

Simulado UERJ

Pré-Vestibular Comunitário UNIRIO
Rua Voluntários da Pátria 107, Botafogo
Simulado UERJ
Nome completo:

Segunda Guerra Mundial

Segunda Guerra Mundial

O início

Ø  Hitler desencadeia a guerra ao aplicar o seu projeto de expansão do império alemão.
Ø  Março de 1938 anexa a Áustria
Ø  Setembro exige a devolução dos Sudetos pertencentes à Tchecoslováquia e gera uma crise diplomática que leva a Conferencia de Munique.

Entre guerras e a ascensão dos regimes totalitários

Entre guerras e a ascensão dos regimes totalitários

Ø  Após o fim da Primeira Guerra Mundial aconteceu uma crise democrática, ou seja, muitas nações abandonaram tal regime e optaram por um regime totalitário. Esse

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Revisão de Conteúdo e Interpretação de texto

COMPLEXO DE VIRA-LATAS

Nelson Rodrigues

(Texto editado na revista Manchete esportiva, a 31 de maio de 1958, e republicado em À sombra das chuteiras imortais - crônicas de futebol (organização de Ruy Castro para a Cia. das Letras, São Paulo, 1993). Trata-se da última crônica antes da estréia do Brasil na Copa de 1958, que, como se sabe, foi a primeira vencida pela Seleção brasileira. Nelson mantinha, nesta publicação, uma coluna chamada "Personagem da semana", o que explica o começo do texto).

Hoje vou fazer do escrete o meu numeroso personagem da semana. Os jogadores já partiram e o Brasil vacila entre o pessimismo mais obtuso e a esperança mais frenética. Nas esquinas, nos botecos, por toda parte, há quem esbraveje: - "O Brasil não vai nem se classificar!". E, aqui, eu pergunto: - não será esta atitude negativa o disfarce de um otimismo inconfesso e envergonhado?

Eis a verdade, amigos: - desde 50 que o nosso futebol tem pudor de acreditar em si mesmo. A derrota frente aos uruguaios, na última batalha, ainda faz sofrer, na cara e na alma, qualquer brasileiro. Foi uma humilhação nacional que nada, absolutamente nada, pode curar. Dizem que tudo passa, mas eu vos digo: menos a dor-de-cotovelo que nos ficou dos 2 x 1. E custa crer que um escore tão pequeno possa causar uma dor tão grande. O tempo em vão sobre a derrota. Dir-se-ia que foi ontem, e não há oito anos, que, aos berros, Obdulio¹ arrancou, de nós, o título. Eu disse "arrancou" como poderia dizer: - "extraiu" de nós o título como se fosse um dente.

E, hoje, se negamos o escrete de 58, não tenhamos dúvidas: - é ainda a frustração de 50 que funciona. Gostaríamos talvez de acreditar na seleção. Mas o que nos trava é o seguinte: - o pânico de uma nova e irremediável desilusão. E guardamos, para nós mesmos, qualquer esperança. Só imagino uma coisa: - se o Brasil vence na Suécia, e volta campeão do mundo! Ah, a fé que escondemos, a fé que negamos, rebentaria todas as comportas e 60 milhões de brasileiros iam acabar no hospício.

Mas vejamos: - o escrete brasileiro tem, realmente, possibilidades concretas? Eu poderia responder, simplesmente, "não". Mas eis a verdade: - eu acredito no brasileiro, e pior do que isso: - sou de um patriotismo inatual e agressivo, digno de um granadeiro bigodudo. Tenho visto jogadores de outros países, inclusive os ex-fabulosos húngaros, que apanharam, aqui, do aspirante-enxertado Flamengo. Pois bem: - não vi ninguém que se comparasse aos nossos. Fala-se num Puskas². Eu contra-argumento com um Ademir, um Didi, um Leônidas, um Jair, um Zizinho.

A pura, a santa verdade é a seguinte: - qualquer jogador brasileiro, quando se desamarra de suas inibições e se põe em estado de graça, é algo de único em matéria de fantasia, de improvisação, de invenção. Em suma: - temos dons em excesso. E só uma coisa nos atrapalha e, por vezes, invalida as nossas qualidades. Quero aludir ao que eu poderia chamar de "complexo de vira-latas". Estou a imaginar o espanto do leitor: - "O que vem a ser isso?". Eu explico.

Por "complexo de vira-latas" entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. Isto em todos os setores e, sobretudo, no futebol. Dizer que nós nos julgamos "os maiores" é uma cínica inverdade. Em Wembley³, por que perdemos? Porque, diante do quadro inglês, louro e sardento, a equipe brasileira ganiu de humildade. Jamais foi tão evidente e, eu diria mesmo, espetacular o nosso vira-latismo. Na já citada vergonha de 50, éramos superiores aos adversários. Além disso, levávamos a vantagem do empate. Pois bem: - e per- demos da maneira mais abjeta. Por um motivo muito simples: - porque Obdulio nos tratou a pontapés, como se vira-latas fôssemos.

Eu vos digo: - o problema do escrete não é mais de futebol, nem de técnica, nem de tática. Absolutamente. É um problema de fé em si mesmo. O brasileiro precisa se convencer de que não é um vira-latas e que tem futebol para dar e vender, lá na Suécia. Uma vez que se convença disso, ponham-no para correr em campo e ele precisará de dez para segurar, como o chinês da anedota. Insisto: - para o escrete, ser ou não ser vira-latas, eis a questão.

¹ Obdulio: ex-futebolista uruguaio que atuava como zagueiro.

² Puskas: futebolista húngaro, considerado um dos melhores do século XX.

³ Wembley: o estádio nacional inglês.

Vocabulário:

Escrete: linha ou marca desenhada para servir de ponto partida; linha de partida.

Obtuso: que falta inteligência; não é claro; estúpido.

Inatual: que não apresenta atualidade.

Granadeiro: soldado especializado no lançamento de granadas.

Aludir: Referir-se indiretamente; fazer alusão.

Abjeta: desprezível, sujo; indigno.

01) Qual o tema central da crônica?

02) Explique com suas palavras a opinião do autor.

03) Retire do texto três frases ditas pelo autor que comprovem a sua resposta anterior.

04) A partir da expressão “complexo de vira-latas”, comente, citando exemplos, como esse comportamento pode afetar a autoestima do brasileiro.


Revisão de Conteúdo – Morfologia

  • Artigo: acompanha o substantivo marcando a flexão em gênero (masculino, feminino) e número (singular, plural).
  • Substantivos: são palavras que designam seres – visíveis ou não, animados ou não – ações, estados, sentimentos, desejos, ideias. Os substantivos podem se classificar em: comuns, próprios, concretos, abstratos e coletivos, e quanto à formação podem ser primitivos ou derivados, simples ou compostos.

(Padrão do substantivo: (prefixo+) radical + (sufixo) VT/DG + DN)

  • Adjetivos: são palavras que caracterizam os seres, referem-se sempre a um substantivo com o qual concordam em gênero e número.

FORMAÇÃO DE PALAVRAS

- Composição: união de dois ou mais radicais.

RADICAL 1 + RADICAL 2 = PALAVRAS 3

A composição pode ser por:

- Justaposição: em que há autonomia fonética na união dos radicais. Ex: pernalonga (perna+longa), couveflor (couve+flor), girassol (gira+sol).

- Aglutinação: perda ou adaptação fonética na união dos radicais. Ex: planalto (plano +alto), aguardente (água+ardente), alvinegro (alvo+negro).

- Derivação: a união de afixo(s) no radical da palavra primitiva.

RADICAL 1+AFIXO = PALAVRA 2

A derivação pode ser:

- prefixal: propor, infeliz

- sufixal: jornalista, brasileiro

- prefixal e sufixal: infelizmente, imperdoável

- parassintética: engarrafar, anoitecer

Casos especiais:

- Derivação regressiva: formação de um substantivo abstrato através de um verbo.

Ex: consumir > o consumo; vender > a venda; ensinar > o ensino

- Derivação imprópria: mudança de sentido e de classe gramatical.

Ex: Os ricos (adjetivo > substantivo) deram uma festa animal (substantivo > adjetivo).

VERBO

Os verbos são palavras que exprimem ação, estado, mudança de estado e fenômenos da natureza. Podem se flexionar em número e pessoa, tempo e modo.

- Número e pessoa

As três pessoas do verbo são aquelas que estão envolvidas no ato da comunicação e podem estar no singular ou no plural:

Pessoas/Números

Pronomes Retos

1ª pessoa do singular (quem fala)

2ª pessoa do plural (com quem se fala)

3ª pessoa do singular (de quem ou de que se fala)

1ª pessoa do plural ( quem fala)

2ª pessoa do plural (com quem se fala)

3ª pessoa do plural (de quem ou de que se fala)

Eu

Tu

Ele

Nós

Vós

Eles

- Modo

Indicativo: É o modo da certeza, o que expressa algo que seguramente acontece, aconteceu ou acontecerá; Subjuntivo: É o modo da dúvida, o que expressa a incerteza, a possibilidade algo vir a acontecer; Imperativo: É o modo geralmente empregado quando se tem a finalidade de exortar o interlocutor a cumprir a ação indicada pelo verbo. É o modo da persuasão, da ordem, do pedido, do conselho, do convite.

- Flexões de tempo no modo indicativo

Presente: expressa uma ação que está ocorrendo no momento em que se fala ou uma ação que se repete ou perdura; pretérito perfeito: transmite a ideia de uma ação completamente concluída; pretérito imperfeito: transmite a ideia de uma ação habitual ou contínua ou que vinha acontecendo, mas foi interrompida por outra;pretérito mais que perfeito: expressa a ideia de ação ocorrida no passado, mas que é anterior a outra ação, também passada; futuro do presente: expressa a ideia de uma ação que acontecerá num tempo futuro em relação ao atual; futuro do pretérito: expressa a ideia de uma ação que aconteceria desde que certa condição tivesse sido atendida.

- Flexões de tempo no modo subjuntivo:

Presente: indica um fato incerto no presente ou um desejo; pretérito imperfeito: indica um fato incerto ou improvável ou um fato que poderia ter ocorrido mediante certa condição; futuro: expressa a ideia de um acontecimento possível no futuro.

EXERCÍCIOS

01) Dê o processo formador de cada uma das palavras:

a) Madrepérola: _____________________________________________________

b) Infertilidade: ______________________________________________________

c) Amanhecer:_______________________________________________________

d) Pernalta: _________________________________________________________

e) O consolo: _______________________________________________________

f) Decair: __________________________________________________________

g) Subsolo:_________________________________________________________

h) Agradável: _______________________________________________________

i) Lobisomem: ______________________________________________________

j) Foto:____________________________________________________________

k) Zigue – zague: ____________________________________________________

l) ex-cineclubista: ___________________________________________________

02) Dê as formas verbais pedidas:

a) sair: 1ª pessoa do singular do presente do indicativo: ______________________

b) nascer: 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo: _____________

c) florescer: 3ª pessoa do plural do fut. do pres. do indicativo:_________________

d) saber: 1ª pessoa do plural do pret. imperf. do indicativo: ___________________

e) prender: 3ª pessoal do singular do pres do subjuntivo: _____________________

f) dividir: 1ª pessoa do singular do imperf. do subjuntivo: _____________________

g) registrar: 2ª pessoa do singular do fut. do subjuntivo: ______________________


03) Complete as lacunas dos textos abaixo observando que classes gramaticais estão ausentes na construção textual. Não se esqueça que os textos precisam estar coesos e coerentes.

Sexo e Futebol

No que se parecem: o sexo e o futebol?

No futebol, como no sexo, as pessoas _________ ao mesmo tempo, _________ e ____________, quase sempre _____ pelo meio, mas também _________ para um lado ou para o outro, e às vezes ________ um deslocamento. Nos dois ________ importantíssimo ___________ jogo de cintura.

No sexo, como no futebol, muitas vezes _______________ um cotovelaço no olho, ou um desentendimento que _______________ em expulsão. Aí um __________ para o chuveiro mais cedo.

No futebol, como no sexo, ____________ gente que se ____________ antes de ___________e sempre ____________ ofegante. No sexo, como no futebol, _________ feijão com arroz, mas também _______________ o requintado: a firula e o lance de efeito. E, claro, o lençol.

No sexo também ____________ gente que ________ direto no calcanhar. E tanto no sexo quanto no futebol o som que mais se ___________ __________ aquele "uuuuu". No fim, sexo e futebol só _______ diferentes, mesmo, em duas coisas. No futebol, com a devida exceção ao goleiro, não _________ _______ as mãos. E o sexo, graças a Deus, não _________ organizado pela CBF.

(Veríssimo, Luis F. Time dos Sonhos: paixão, poesia e futebol)

Amor é prosa, sexo é poesia

O amor tem _________, ___________ e ____________. Sexo é contra a _________. O amor depende do nosso ___________, é uma ___________ que criamos. No amor perdemos a ____________. No sexo a ___________ nos perde. O amor precisa do ______________. No sexo, o __________________ atrapalha; só as ______________ ajudam. O amor sonha com uma grande ______________. O sexo só pensa em ________ _________; não há ______________ permitidas. O amor é um ___________ de atingir a _______________. Sexo é o _____________ de se satisfazer com a _____________. Amor não exige a ________________ do “outro”; o sexo no mínimo, precisa de uma __________.

(Jabor, Arnaldo. As cem melhores crônicas brasileiras)

Material antigo sobre formação de palavras

Prefixos Latinos

Prefixos Sentido Exemplos
Ab- abs-, Afastamento; separação; intensidade Abdicar, abuso, abster
a- ad- Aproximação; direção; mudança de estado Achegar, apodrecer, adjacente
Ambi- Duplicidade Ambivalência, ambíguo, ambidestro
Bene-,bem-,bem- Bem; muito bom Beneficente, bem-querer, benfeitor
Bis-; bi- Repetição; duas vezes Bisavô, bienal, bimestre
Circum- circun- Em redor; em torno Circundar, circunferência
Cis- Do lado de cá Cisplatino
Com-;con- ; co- Companhia, concomitância Co-autor, compatriota
Contra Oposição, direção contrária Contrapor, contra-revolução, contramarcha
De De cima para baixo; separação Decair, declive, depenar
Des Negação; ação contrária Desleal, desonra, desfazer
Dis-;di- Separação; movimento para diversos lados; negação Dissociar, distender, dilacerar
Ex-; es-;e- Para fora; estado anterior Exportar, ex-aluno, emergir, emigrar, emanar, estender
Extra- Posição exterior; fora de Extra-oficial, extraterreno, extraviar
In-(im-); i-(ir-); em- (en-) Movimento para dentro Ingerir, inalar, embarcar, enterrar
In –(im); i- (ir-) Negação; privação Incapaz, imperfeito, ilegal
Intra Posição interior Intravenoso, intra-uterino
Intro - Movimento para dentro Introvertido, introduzir
Justa - Ao lado Justapor, justamarítimo
Ob-;o- Em frente; oposição Objeto, obstáculo, opor
Per- Movimento através Percorrer, perfurar, perpassar
Pos- Depois Póstumo, posteridade
Pre- Antes Prefácio, pré-escolar, prefixo
Pro - Para frente; em lugar de Progresso, prosseguir, pronome
Re- Repetição; para trás; intensidade Recomeçar, repor, redobrar, reeleição, regredir
Retro- Para trás Retroceder, retroativo, retrocesso
Sub-;sob-; so-;sus- Inferior; de baixo para cima Subalimentado, soterrar, suspender
Super-; sobre-; supra Em cima; superior; excesso Super-homem, sobreviver, sobreloja
Trans-; tras-;tres Através de; além de Transatlântico, transeunte, trespassar
Ultra Além de; excesso Ultrapassar, ultra-som
Vice-; vis No lugar de; inferior a Vice-presidente, visconde

Prefixos Gregos

Prefixos Sentido Exemplos
An-; a- Privação; negação Anarquia, anônimo, analgésico
Aná- Ação ou movimento inverso; repetição Anagrama, anacrônico, analisar, anáfora
Anfi- De um e outro lado; em torno; duplicidade Anfíbio, anfiteatro
Anti- Oposição; ação contrária Antiaéreo, antípoda, antidemocrático
Apó- Afastamento; separação Apogeu, apócrifo
Arqui-;arc-;arque;arce- Superioridade Arquiduque, arquipélago, arcanjo, arquétipo, arcebispo
Catá- De cima para baixo; oposição Catálogo, catástrofe, catarata
Diá-; di- Através de; afastamento Diocese, diâmetro,
Dis- Dificuldade; mau estado Dispnéia, disenteria
Ec-; ex - Para fora Eclipse, êxodo, exorcismo
Em-;en-;e- Interior, dentro Encéfalo, emplastro, elipse
Endo-; end- Interior; movimento para dentro Endosmose; endovenoso
Epi- Superior; movimento para; posteridade Epiderme, epitáfio, epígrafe
Eu-; ev- Bem; bom Eufonia, euforia, evangelho
Hiper- Superior; excesso Hipérbole, hipertensão
Hipo- Inferior; escassez Hipodérmico, hipotensão, hipocrisia
Metá-; met- Posterioridade; mudança Metacarpo; metátese, metamorfose
Pará- par- Proximidade; ao lado de Paradigma, parasita, parábola
Peri- Em torno de Perímetro, perífrase, periscópio
Pró- Em frente; anterior Prólogo, prognóstico, programa
Sin-; sim-; si- Simultaneidade; companhia Sinfonia, simpatia, sílaba


01¬) Sublinhe os substantivos e circule os adjetivos presentes na música de Chico Buarque.

O meu amor tem um jeito manso que é só seu/ E que me deixa louca quando me beija a boca/ A minha pele toda fica arrepiada/ E me beija com calma e fundo/ Até minha alma se sentir beijada/ O meu amor tem um jeito manso que é só seu/ Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos/ Com tantos segredos lindos e indecentes/ Depois brinca comigo, ri do meu umbigo/ E me crava os dentes, ai!/ Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz/ Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz/ O meu amor tem um jeito manso que é só seu/ Que me deixa maluca, quando me roça a nuca/ E quase me machuca com a barba mal feita/ E de pousar as coxas entre as minhas coxas/ Quando ele se deita/ O meu amor tem um jeito manso que é só seu/ De me fazer rodeios, de me beijar os seios/ Me beijar o ventre e me deixar em brasa/ Desfruta do meu corpo como se o meu corpo/ Fosse a sua casa/ Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz/ Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

02) Forme palavras pelo processo de composição por aglutinação.

água ardente ________________ perna alta __________________
em boa hora _________________ filho de algo ________________
pedra óleo ___________________ vinho acre __________________

03) Dê o processo formador de cada uma das palavras:

arrozal: ________________________________
desfeito: _______________________________
humanidade: ____________________________
infelizmente: ____________________________
empobrecer: _____________________________
planalto: ________________________________

04) Todas as palavras abaixo são formadas com prefixos latinos. Indique-os e dê o seu significado.

benevolência: _______________________ desfazer: ___________________________
admirar: ____________________________ extraordinário: ______________________
extrair: _____________________________ imigrar: ___________________________
retrógrado: __________________________ bilíngue: ___________________________
anteontem: __________________________ subsolo: ___________________________
ultrapassar: __________________________ posposto: __________________________

05) Todas as palavras abaixo são formadas com prefixos gregos. Indique-os e dê o seu significado.

êxodo: _________________________ metamorfose: __________________________
disfonia: ________________________ endotérmico: __________________________
sincrônico: ______________________ acéfalo: ______________________________
hiperácido: ______________________ perímetro: ____________________________
próclise: _________________________ antiaéreo: _____________________________
diagrama: ________________________ arquidiocese: __________________________

06) Faça a correspondência de sentido dos prefixos latinos e gregos destacados.
Palavra com prefixos latinos Palavras com prefixos gregos
superfino êxodo
ilegal perímetro
contradizer hiperácido
circunvagar euforia
subsolo endovenoso
intravenoso ateu
competir sinfonia
beneficente hipogastro
expulsar antídoto

07) Forme verbos utilizando a derivação parassintética a partir das palavras:

Noite: __________________________ tarde: ____________________________
Mudo: __________________________ doido: ____________________________
Louco: __________________________ vermelho: _________________________
Branco: _________________________ pálido: ___________________________
Vazio: __________________________ quente: ___________________________

08) Identifique os verbos e informe o que eles expressam: ação, estado ou fenômeno da natureza:

a) Chovia e ventava muito. Os guarda-chuvas enroscavam-se uns nos outros. O mundo estava molhado e sombrio.

_____________________________________________________________________

b) Devido à seca, os nordestinos abandonam suas terras e partem à procura de melhores condições de vida.

________________________________________________________________________

c) Enquanto o líder falava, todos permaneciam atentos.

____________________________________________________________________